Recentes

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Canela em casca - Suas propriedades terapêuticas

Canela em casca (Cinnamomum zeylanicum)

Nome popular: Canela
Nome científico: (Cinnamomum zeylanicum)
Família: Lauraceae
Origem: Ceilão

Propriedades e apresentação:

Árvore de porte médio, atingindo de 8 a 15 metros de altura por 40 cm de diâmetro.

Casca pálida e sem pêlos. Flores pequenas, branco-amareladas, formando pequenas panículas introduzida no Brasil pelos jesuítas.

Nos dias atuais produz-se canela a partir de plantas nacionais, sem a mesma qualidade do produto originário do Ceilão.

São usadas as cascas e folhas.

A casca possui óleo essencial , taninos, açúcares, cumarinas, diterpenos, sesquiterpenos e minerais.

A folha também contém óleo essencial em quantidades diferentes aos da casca em elementos químicos.

Emprego e utilização da planta:

Sua ação reguladora do apetite, fortalece o estômago, é estimulante e adstringente, nas debilidades do estômago e do sistema digestivo geral, especialmente nos casos de gastrite subácida, caracterizada pela escassa produção de suco gástrico e na diarreia.

Usada também em lavagens no combate a germes que atacam o couro cabeludo.

Utilizada como condimento, possui efeito estimulante e afrodisíaco, porque eleva a pressão sanguinia.

Uso medicinal:

Tem como terapêuticas: antibacteriana, antifúngica; estomática, carminativa, espasmolítica.

Sob a ação do sol, elas enrolam e posteriormente são vendidas. É uma planta estimulante, tônica.

É recomendada no combate às gripes, resfriados, tosses, afecções catarrais, hemorragia pós-parto e escorbuto.

É ainda estimulante da circulação.

Dizem que o princípio ativo da planta usada em altas doses provoca irritação das mucosas e hematúrias.

Cuidados e prevenção:

Não é indicado para mulheres gestantes.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário