Recentes

sábado, 9 de novembro de 2019

Catinga de mulata - Suas propriedades terapêuticas

Catinga de mulata (Tanacetum vulgare L.)

Nome popular: Catinga de mulata
Nome científico: (Tanacetum vulgare L.)
Família: Lamiaceae
Origem: Américas e Europa

Propriedades e apresentação:

É um pequeno arbusto. Folhas cordiformes, oblongas, lanceoladas, crenadas. Flores amarelas, em glomérulos, aproximados em espigas.

Não se deve confundir esta planta com outras de igual nome, da família das compostas, que vulgarmente também se chamam tasneiras (Tanacetum vulgare) , e balsamita-vulgar ou atanásia-dos-jardins (Tanacetum balsamita).

Emprego e utilização da planta:

Usar a planta toda para fazer banhos de pele e afecções diversas.

Para o chá, usar somente as folhas, colher sem orvalho, fazer o chá durante o dia.

Tomar 1 xícara durante 8 dias.

Deixar o tratamento 5 dias e repetir a dose outras vezes alternadamente.

Uso medicinal:

Utilizada como anti-inflamatório, antirreumático, cicatrizante, alivia contusões, artrites, furúnculos, dermatoses e outras inflamações da pele.

É indicada também para problemas de asmas, dores artríticas, gota, histerismo, reumatismo e nervosismo.

Toma-se o chá, preparado por infusão; e emprega-se também o cozimento, em banhos.

Parte usada:

Toda a planta.

Dose:

Normal.

Cuidados e prevenção:

Não se recomenda o uso interno desta planta pela elevada toxidade de seus componentes, em pessoas sensíveis pode ocorrer caso de irritação da pele.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário