Recentes

domingo, 15 de dezembro de 2019

Malva - Suas propriedades terapêuticas

Malva (Malva sylvestris L.)

Nome popular: Malva
Outros nomes: Malva-grande, malva-verde, malva-de-botica
Nome científico: (Malva sylvestris L.)
Família: Malvaceae
Origem: Europa

Propriedades e apresentação:

A malva, é uma planta de 30 a 60 centímetros. Da raiz levantam-se diversas hastes cilíndricas, erectas, ramosas. Folhas alternas, longipecioladas, recortadas em 5 a 7 lobos profundos, obtusos, de bordos serreados, tendo à base duas estípulas sésseis, ovais, acuminadas, quase inteiras, ciliadas.

Flores róseas com estrias vermelhas, sustentadas por pedúnculos finos, erectos, desiguais, reunidas em cimeiras de 3 a 5 nas axilas das folhas. Fruto deprimido, dotado de cálice persistente e composto de numerosos aquênios monospermos.

A malva é uma planta anual, trazida da Europa para o Brasil, adapta-se nos estados do sul e sudoeste do pais.

Vegeta praticamente o ano inteiro.

As diversas classes de malva possuem mais ou menos as mesmas propriedades medicinais, pois são emolientes, calmantes, desinflamatória e expectorantes.

As folhas e as flores de malva dissolvem as mucosidades. Pega de galho.

As folhas e as flores de malva dissolvem as mucosidades.

Emprego e utilização da planta:

Colher as folhas logo após o sol esquentar. Secar na sombra e fazer o chá, tomando 1 copo durante 7 dias em goles. Deixar de tomar por 3 dias e repetir a dose outras vezes.

Uso medicinal:

As folhas e as flores da malva são béquicas, calmantes, emolientes. As raízes também são emolientes.

A malva é um excelente remédio para curar os catarros de qualquer espécie. Em gargarejos ou inalações, dá bom resultado nas enfermidades da garganta e ouvido. Em fomentações, a infusão das folhas e flores é indicada contra as inflamações externas. A malva substitui a altéia em todas as suas aplicações.

Parte usada:

Folhas, flores e raízes.

Dose:

Folhas e raízes, normal; flores, 10 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia. Para uso externo, adota-se dose dobrada.

Em compressas, aplica-se a infusão desta planta sobre abscessos, furúnculos, etc.

São muito eficazes para combater catarros, resfriados, rouquidão, tosse, gripe, tosse convulsa, febre, enfermidades da garganta e do peito, tísica, etc.

Quando a tosse é muito rebelde e os brônquios e os pulmões estão irritados, o chá de malva é excelente para dissolver as mucosidades.

Externamente o chá se emprega para fazer gargarejos e inalações nos casos de tosse, rouquidão, inflamação da garganta, catarro, etc.

As inalações também servem para combater as dores e enfermidades dos ouvidos.

É ótima para todo o tipo de infecção, calmante dos nervos e dores, principalmente nas inflamações da boca, da garganta, estômago, intestinos, rins e bexiga.

Pode ser feito cataplasma e aplicá-las em úlceras e feridas em geral.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário