Recentes

sábado, 28 de dezembro de 2019

Sete sangrias - Suas propriedades terapêuticas

Sete sangrias (Cuphea carthagenensis)

Nome popular: Sete sangrias
Outros nomes: guanxuma-vermelha, balsamona chiagari; cuféa, erva-de-sangue, pé-de-pinto
Nome científico: (Cuphea carthagenensis)
Família: Lythraceae
Origem: América do Sul

Propriedades e apresentação:

Erva de caule e ramos pubescentes; pelos purpúreos e glandulíferos; folhas opostas, glabras na parte superior e pubescentes na parte inferior; flores róseas.

Sete sangrias é uma erva ereta, de até 60 centímetros, com caule avermelhado, pétalas púrpuras, fruto ampuláceo e inflado na maturação, com sementes pardo-avermelhadas.

Emprego e utilização da planta:

Sete-sangrias, é utilizada em forma de chá como anti-hipertensiva, diurética, diaforética, antissifilítica, contra as afecções de pele e mucosa, etc.

Emprega-se interiormente como depurativa do sangue, emenagoga, e para acalmar as palpitações do coração, a alta pressão do sangue, e combater a arteriosclerose.

Uso Medicinal:

Excelente remédio contra a arteriosclerose, a hipertensão arterial e as palpitações do coração. É depurativa do sangue. Limpa o estômago e os intestinos.

Aplica-se com bons resultados nas doenças venéreas, reumatismo, afecções da pele, obesidade.

Faz baixar pouco a pouco a pressão alta, combate o colesterol, ajuda no emagrecimento. Combate febres, moléstias venéreas, sífilis, etc.

Fonte de pesquisa: As Plantas Curam, Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário