Recentes

sábado, 19 de setembro de 2020

Coco - Suas propriedades terapêuticas

Coco (Cocos nucifera L.)

Nome popular: Coco
Nome científico: (Cocos nucifera L.)
Família: das Palmáceas
Porte: até 20 metros de altura
Origem: Asiática

Propriedades e apresentação:

A composição da polpa do coco varia à medida que ele amadurece. Quando o coco está verde (de 6 a 7 meses), a polpa tem uma consistência gelatinosa, contém muita água e sua proporção de nutrientes é menor.

Quando o coco amadurece, a polpa fica mais consistente, com menos água e os nutrientes se encontram mais concentrados.

Neste estado, a polpa do coco contém uma boa proporção de carboidratos (6,23%) e proteínas (3,33%) e sais minerais, entre os quais se destaca o magnésio, o cálcio e o fósforo.

O nutriente mais abundante na polpa do coco é a gordura, que representa mais de um terço de seu peso, quando maduro.

As propriedades dietoterapêuticas do coco dependem de seu conteúdo mineral, especialmente o magnésio.

A polpa madura contém 32 mg/100g, e  a água de coco 25 mg/100g.

Embora não sejam grandes quantidades, ultrapassa a de todos os alimentos de origem animal, incluindo a carne, o peixe, o leite e os ovos.

A maior parte do magnésio do nosso organismo encontra-se nos ossos (60%) e nos músculos (26%).

Contribui para a dureza dos ossos e o bom estado das cartilagens que formam as articulações.

Nos músculos, a falta de magnésio produz contração muscular e excitabilidade nervosa.

Além desta quantidade de magnésio, o coco contém outros minerais de grande importância para o aparelho locomotor, como o cálcio e o fósforo.

Um alimento como o coco, que aporta esses minerais em uma proporção correta, contribui para o bom estado dos ossos, das articulações, dos músculos e do aparelho locomotor no seu conjunto.

Nos seguintes casos o consumo de coco (polpa ou água) exerce efeito benéfico sobre o aparelho locomotor:

* Descalcificação: (perda de cálcio) óssea.

* Artrose: (degeneração da cartilagem das articulações).

* Osteoporose: (desmineralização e perda de massa dos ossos).

* Dores osteomusculares: devido à tensão excessiva ou falta de relaxamento muscular, especialmente dores nas costas.

Por sua ação remineralizante, o consumo de coco também é recomendado:

* Na época da dentição infantil: para favorecer a boa formação do esmalte dentário.

* Em caso de debilidade: do cabelo e das unhas.

É interessante acentuar que a água e o leite de coco são quase tão ricos em minerais como a própria polpa de coco, com a vantagem de não conter gorduras.

Um litro de água de coco contém cerca de 300 mg de magnésio, que é a QDR (quantidade diária recomendada) deste mineral para um adulto.

Maneiras de utilização do Coco:

* Polpa madura: pode-se consumir crua ou ralada, fazendo parte de várias preparações culinárias.

* Polpa gelatinosa: obtém-se dos cocos ainda verdes. Come-se com uma colher, depois de aberto o coco. Contém os mesmos nutrientes que o coco maduro, mas em menor concentração.

* Água de coco: é o líquido que se encontra no seu interior, tanto mais abundante quanto mais verde estiver o coco. Ideal para matar a sede nos países tropicais.

* Leite de coco: refrescante e nutritivo. Pode ser preparado acrescentando água ou leite de vaca.

* Copra: é a polpa do coco seca ao sol.

* Óleo ou gordura de coco: obtidos industrialmente aplicando uma forte pressão sobre a copra.

O coqueiro é uma árvore com vocação de sobrevivência: resiste como nenhuma à ação devastadora dos ciclones tropicais, vergando seu tronco flexível sem chegar a desarraigar-se da terra.

Quando passa a tempestade, os coqueiros permanecem esbeltos nas praias tropicais, como se nada tivesse acontecido.

Além disso, seu fruto, o coco, é capaz de navegar centenas ou milhares de quilômetros flutuando sobre o mar sem que perca sua força germinativa. Que indomável energia vital, a desses aparentemente frágeis coqueiros.

Em sânscrito, antigo idioma da Índia, o coqueiro recebe o nome de "kalpa vriksha", que quer dizer "árvore que dá tudo o que é necessário para a vida". E isso não é exagero, pois é sabido que os habitantes das ilhas da Polinésia sobreviveram em algumas circunstâncias durante várias gerações à base de cocos.

O coco proporciona alimento líquido e sólido; com a fibra que o recobre se tecem cordas e fabricam-se escovas de dente; com o tronco e as folhas do coqueiro se fazem sandálias, tecidos e até cabanas.


A força vital e a resistência do coco, assim como a flexibilidade da palmeira, parecem anunciar as propriedades medicinais da semente desse fruto original.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário