Recentes

domingo, 15 de setembro de 2019

Trigo - Suas propriedades terapêuticas

Trigo (Triticum aestivum L.)

Nome popular: Trigo
Nome científico: (Triticum aestivum L.)
Família: das Gramíneas

Propriedades e apresentação:

O grão de trigo em seu conjunto, composto pelo farelo ou pericarpo, o endosperma e o gérmen, forma um alimento quase completo, que contém todos os nutrientes que nosso organismo necessita, com as seguintes exceções:

- provitamina A (beta-caroteno),

- vitamina C,

- vitamina B12, como todos os outros alimentos vegetais.

Todos os demais nutrientes estão contidos no grão de trigo integral, inclusive a fibra. Todos se encontram numa proporção ideal, exceto as gorduras e o cálcio, que escasseiam.

* Carboidratos: constituem o nutriente mais abundante do trigo (76%). A maior parte deles estão formados por amido e só uma pequena parte (1% - 2% g) por açúcares.

Quanto mais fibra acompanhe o amido, mais paulatinamente se produz a liberação de glicose. De forma que o trigo e a farinha integrais são melhor tolerados pelos diabéticos do que a farinha branca desprovida de fibra, já que provocam aumentos bruscos do nível de glicose no sangue.

* Proteínas: cerca de 90% das proteínas do trigo são constituídas por gluteína e gliadina, duas proteínas que quando se isolam do resto dos componentes do grão e se misturam com água formam uma massa esponjosa chamada glúten.

Simplificando, pode-se dizer que o glúten é o conteúdo proteico do endosperma do trigo, isto é, de sua farinha branca (sem o gérmen nem o farelo).

Graças ao glúten, a massa "sobe", ou seja, expande-se pela ação do gás carbônico que se forma durante a fermentação. Ao se expandir, devido à elasticidade do glúten, formam-se as típicas "bolhas" do pão.

Mas o glúten apresentam dois inconvenientes:

- Pode produzir intolerância em determinados casos. Isso ocasiona uma doença conhecida como celiaquia nas crianças, ou espru nos adultos.

- É uma proteína incompleta, pois ainda que contenha todos os aminoácidos essenciais, sua proporção de lisina é insuficiente para cobrir as necessidades do organismo.

É interessante notar que a proteína do gérmen do trigo, que é de um tipo diferente da do glúten, também contém excesso de lisina que compensa em parte porque o glúten.

Diz-se que compensa em parte porque o gérmen pesa muito pouco (aproximadamente 2,5% do total do grão) e, portanto, contém poucas proteínas, ainda que de grande qualidade. Apesar disso, o trigo ou a farinha integral proporcionam proteínas de maior poder nutritivo do que a simples farinha branca.

* Gorduras: contém 1,56%, das quais mais da metade se encontra no gérmen e no farelo. Trata-se em sua maior parte de ácidos graxos poli-insaturados, entre os quais predomina o linoléico.

* Fibra: o trigo completo contém 12,5% de fibra, em sua maioria insolúvel (lignificada), que se encontra principalmente no farelo. Essa fibra proporciona um notável efeito laxante ao trigo.

* Vitaminas: o trigo é uma boa fonte de vitaminas B1, B2, B6, niacina, folatos e vitamina E. O gérmen e o farelo são mais ricos em vitaminas do que o endosperma. Não contém vitaminas "C" e "B12".

* Minerais: o trigo aporta boa quantidade de fósforo, magnésio, ferro e potássio, assim como diversos oligoelementos, entre os quais se destacam o zinco, o cobre e o manganês. O mineral mais escasso é o cálcio.

O trigo completo e sua farinha integral são alimentos universais que todo o mundo (exceto no caso de intolerância ao glúten) pode consumir diariamente.

Recomendado, especialmente, nos seguintes casos:

* Aumento das necessidades nutritivas: etapas de crescimento (infância e adolescência), esportistas, gravidez, lactação, convalescência de doenças debilitantes etc. O trigo é uma excelente fonte de energia (331 kcal/100g). Graças à sua riqueza em vitaminas do grupo "B", a glicose que libera seu amido se metaboliza muito facilmente.

* Afecções digestivas: o trigo é de fácil digestão e, com um mínimo trabalho dos órgãos digestivos, proporciona grande quantidade de nutrientes.

Menção especial requer seu efeito laxante e regulador do trânsito intestinal. Todos os que sofrem de prisão de ventre deveriam ingerir trigo integral em qualquer de suas formas.

Seu consumo habitual ajuda a prevenir as diverticuloses intestinais, as hemorroidas, o câncer de cólon, assim como os eczemas e dores de cabeça provocados por auto-intoxicação que acompanha a prisão de ventre crônica.

* Afecções crônicas: o consumo habitual de trigo ou farinha integrais previne o aparecimento das chamadas doenças da civilização, provocadas em muitos casos pelo excesso de alimentos refinados: arteriosclerose, diabetes, reumatismos e até o câncer.

Formas de preparo do trigo:

* Grão inteiro: nada, exceto a possível contaminação por pesticidas, impede que se consuma o grão tal qual recém tirado da espiga (assim se costumava fazer antigamente, como os discípulos de Jesus na Palestina).

Deve-se mastigá-lo e cuspir a parte mais dura do farelo. Também se pode tostar, o que facilita a mastigação e digestão.

* Flocos: elaboram-se cozinhando e amassando o grão. São integrais, pois contêm todas as partes do grão. Sofrem apenas uma pequena perada de vitaminas provocada pelo aquecimento. Comem-se após deixá-los de molho ou fervidos com leite ou caldo de legumes. Fazem parte do famoso muesli para o desjejum.

* Farinha: é o pó fino que se obtém após moer o grão. A farinha integral contém todas as partes do grão, e a refinada somente o endosperma. Com ela se elabora o pão e numerosos produtos de panificação.

* Germinado: os brotos do trigo germinado são muitos tenros e saudáveis. Diferentemente do grão seco, contêm provitamina "A" e vitamina "C".

* Trigo burgur: são grãos de trigo duro, partidos em pedacinhos e vaporizados. É bastante integral e requer um tempo de cocção menor que os grãos inteiros. Usa-se como substituto do arroz.

Apresentação: todo ano no planeta Terra se produzem aproximadamente 600 milhões de toneladas de grãos de trigo, com os quais são alimentadas milhões e milhões de pessoas. Nenhum outro cereal é tão cultivado como o trigo.

Quase quatro mil anos depois que José, o filho de Jacó, alimentou o povo egípcio, graças à sua reserva de grãos, o trigo continua proporcionando mais quantidade de alimento e a mais pessoas que qualquer outro produto em todo o mundo.

Na Europa, em quase toda a América, em boa parte da Ásia e da África e na Austrália, o trigo é essencial para a nutrição humana.

Porque se usa mais a farinha branca de trigo:

Se está comprovado que a farinha integral é mais nutritiva e saudável para a nutrição humana, porque se usa muito mais a farinha branca?

Há pelo menos três motivos para isso:

* A demanda da população: a farinha branca sempre foi mais apreciada do que a integral.

* A melhor conservação da farinha branca: a farinha integral se conserva por poucas semanas, porque se estraga com facilidade.

* A presença de fatores antinutritivos: no farelo, como os fitatos, que teoricamente podem dificultar a absorção do ferro e do zinco no intestino.

Isso tem feito alguns especialistas desprestigiarem os cereais integrais do ponto de vista nutritivo. Entretanto, não há motivo para isso.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário