Recentes

sábado, 21 de setembro de 2019

Amor perfeito - Suas propriedades terapêuticas

Amor perfeito (Viola tricolor, Viola arvensis)

Nome popular: Amor perfeito
Outros nomes:  Flor-da-trindade, violeta-de-três-cores
Nome científico: (Viola tricolor, Viola arvensis)
Família: Violáceas
Origem: Europa e Ásia

Propriedades e apresentação:

Descrição: Planta glabra ou aveludada, dum verde-amarelo-pálido, 15 a 25 cm. Raiz fibrosa, haste ramosa, especialmente na base, difusa, mais ou menos erecta, angulosa, triangular, tenra, fistulosa, lisa.

Folhas: alternas de pecíolo triangular, algo canaliculado superiormente, ovais, obtusas, crenadas: as inferiores são acompanhadas de duas estípulas opostas, foliáceas, penatipartites; de lobos laterais lineares, lanceolados; o terminal é maior, oblongo, inteiro ou dividido.

Flores: solitárias, inclinadas sobre longos pedúnculos axilares. Apresentam diversas cores: amarelo, violeta, róseo, etc. Cálice de 5 sépalas oblongas, agudas. Corola de 5 pétalas irregulares.

Fruto: é uma cápsula ovóide, oblonga, trígona, glabra, abrindo-se por 3 valvas. Sementes numerosas, pequenas, ovóides, brancas.

Uso medicinal:

É um vegetal de bom efeito como depurativo e peitoral.

É indicado nas afecções cutâneas: erupções miliares, eczema, impetigem, herpes, manifestações escrofulosas, etc.

Para estes fins, toma-se chá e reforça-se a ação interna, fazendo-se loções ou aplicando-se compressas.

Emprega-se também o amor-perfeito, com sucesso, contra o reumatismo articular, aumentando-se um pouco a dose.

Parte usada:

Folhas e flores.

Dose:

Folhas, 20 gramas; flores, 10 gramas em 1 litro de água; 3 a 4 xícaras ao dia.

Fonte: As plantas curam.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário