Recentes

sábado, 10 de outubro de 2020

Abútua - Suas propriedades terapêuticas

Abútua (Cissampelos pareira, Cissampelos vitis)

Nome popular: Abútua
Nome científico: (Cissampelos pareira, Cissampelos vitis)
Família: Menispermáceas.
Nomes populares: Parreira-brava, parreira-do-mato, abuta, etc.
Origem: Floresta Tropical Brasileira

Propriedades e apresentação:

Planta trepadeira. Da muitos cachos semelhantes aos da videira, com bagas pretas, de gosto adocicado, e que se parecem com a uva. Não se comem, porém essas frutas.

Emprego e utilização da planta:

Cálculos renais - Tendo grande ação sobre os órgãos do aparelho urinário, usa-se com bom resultado contra cálculos renais.

Cólicas uterinas - É também indicada contra as cólicas que podem aparecer durante o sobreparto, e, bem assim, contra a menstruação difícil e a supressão dos lóquios.

Dispepsia  (má digestão) -  É eficaz contra as más digestões, acompanhadas de prisão de ventre, dor de cabeça, tontura, etc.

Fígado – Provoca a desopilação (desobstrução) nas afecções hepáticas.

Hidropisia – Também se usa no tratamento desta enfermidade.

Reumatismo – Na medicina doméstica é muito conhecida a raiz da abutua, que se tornou famosa ultimamente por seus efeitos curativos em casos de reumatismo.

É, efetivamente, um excelente remédio para os que sofrem desta enfermidade.

Uso medicinal:

Diurética e febrífuga. Usadas em cálculos renais, cólicas uterinas, Dispepsia, Fígado, Hidropisia, Reumatismo.


Parte usada:

Raiz e casca do tronco, por decocção.

Dose:

10 a 15 gramas para 1 litro de água, 4 a 5 xícaras ao dia.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário