Recentes

domingo, 18 de outubro de 2020

Funcho - Suas propriedades terapêuticas

Funcho (Anethum foeniculum, Foeniculum dulce)

Nome popular: Anis
Outros nomes: Erva-doce, anis, funcho.
Nome científico: (Anethum foeniculum, Foeniculum dulce)
Família: Umbelíferas
Origem: Mar Mediterrâneo e Leste Europeu.

Propriedades e apresentação:

Planta de um a dois metros de elevação, verde-glauca, exalando um aroma agradável.

Haste direita, cilíndrica, glabra, lisa, estriada, ramosa.

Folhas alternas, amplas, recortadas, em segmentos assovelados, quase capilares; pecíolos amplexicaules.

Flores amarelas, pequenas, em umbelas terminais, grandes, de raios numerosos e grandes.

Cálice inteiro.

Corola de cinco pétalas inteiras, quase iguais, curvadas para dentro.

O fruto é constituído de dois mericarpos algo comprimidos, pequenos, ovais, estriados, alongados, esbranquiçados.

Emprego e utilização da planta:

Em cataplasmas, aplicam-se sobre os tumores indolentes e sobre os ingurgitamentos, atônicos.

Operam como resolutivos. As raízes são diuréticas.

O funcho é usado na alimentação, cru, em saladas, ou cozido. É muito saudável.

Uso medicinal:

Tem as mesmas indicações terapêuticas que o anis (Pimpinella anisum), o cominho e o endro.

Suas sementes são aperientes, carminativas, estomáquicas, emenagogas.

Empregam-se nas dispepsias, flatulências, cólicas, diarreias, vômitos, etc.

Aumentam a secreção do leite das mães quando amamentam.

Parte usada:

Raízes e sementes.

Dose:

10 gramas de sementes para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.

Fonte: As plantas curam
Imagem: de Duncan Dimech por Pixabay 
Texto meramente informativo. Sua visita ao seu médico de confiança é fundamental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário