Recentes

sábado, 24 de abril de 2021

Aroeira - Suas propriedades terapêuticas

Aroeira (Schinus terebinthifolius, Schinus antarthritica, Schinus aroeira)

Nome popular: Aroeira
Outros nomes: Aroeira-mansa, aroeira-vermelha, araguaraíba, corneíba
Nome científico: (Schinus terebinthifolius, Schinus antarthritica, Schinus aroeira)
Família: Anacardiáceas
Origem: América do Sul

Propriedades e apresentação:

Árvore pequena. Ramos foliosos, mais ou menos empubescidos. Folhas compostas, imparipenadas. Folíolos (2 a 7 pares) sésseis, oblongos, serreados. Inflorescência em panículas terminais. Frutos globulosos, avermelhados, pequenos.

Uso medicinal:

A aroeira é boa para combater as febres, o reumatismo e a sífilis. Os homeopatas aconselham esta planta nos casos de atonia muscular, distensão dos tendões, artrite, reumatismo, fraqueza dos órgãos digestivos, tumores. Emprega-se empiricamente, em fomentações, para combater afecções reumáticas e tumores linfáticos.

As folhas são dotadas de propriedades balsâmicas, pelo que se usam para curar úlceras.
Devido aos seus efeitos adstringentes, as cascas são contra a diarreia e as hemoptises. Usam-se 100 gramas para 1 litro de água. Pode adoçar-se com açúcar. Tomam-se 3 a 4 colheres, das de sopa, ao dia.

Aplica-se também contra a ciática, a gota e o reumatismo. Prepara-se um cozimento na proporção de 25 gramas de cascas para 1 litro de água. Toma-se diariamente um banho de 15 minutos, tão quente como se possa suportar.

A aroeira de que aqui estamos falando, não se deve ser confundida com as aroeiras-bravas ou aroeiras-brancas, entre as quais se destaca a Lithraea molleoides. Estas são extremamente cáusticas.

O simples cheiro das mesmas, ou as partículas que delas se desprendem ao serem cortadas, a seiva ou a madeira seca, ou mesmo a terra em que crescem suas raízes podem causar uma afecção cutânea semelhante à urticária, edema ou eritema.

Para estes casos, as lavagens com o decocto das folhas da aroeira-mansa são um remédio eficaz. Estas lavagens são boas também contra a erisipela e outras moléstias provocadas por bactérias e que se manifestam em forma de edema ou eritema.

Há também outras espécies de aroeiras-mansas: a Schinus weinmanniafolius, conhecida pelos nomes populares de aroeira-rasteira, aroeira-do-campo, almecegueira e lentisco; a Schinus molle, popularmente conhecida por aroeira-mole; e outras. Prestam-se para os mesmos fins curativos.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.



Nenhum comentário:

Postar um comentário