Recentes

domingo, 4 de novembro de 2018

Propriedades do Cipo-imbé

Cipo-imbé (Philodendron bipinnatifidum)

Nome popular: Cipo-imbé
Outros nomes: Bananeira-imbé, ambé, uambé, uambé-curua, trucuá, curuba
Nome científico: (Philodendron bipinnatifidum)
Família: Aráceas
Origem: Nativo da América do Sul

Propriedades e apresentação:

O cipó-imbé é uma planta epífita, cujo tronco nodoso chega a atingir até 2 (dois) metros de altura, e alcança a espessura de um braço humano bem desenvolvido, soltando raízes adventícias, pelas quais se prende aos seus sustentáculos (árvores ou rochas).

O caule termina numa frondosa copa folhear, que leva esta planta a ser classificada entre as mais belas plantas ornamentais.

Suas enormes folhas longipecioladas penatífidas, ovais no ápice e sagitiformes na base, cujo limbo mede até 80 (oitenta) centímetros de comprimento, formam um grande tufo arredondado, que esconde completamente o tronco enquanto este é ainda baixo.

Emprego e utilização da planta:

As raízes adventícias, compridas, delgadas e resistentes, são usadas para fabricação de cordas.

Uso medicinal:

Através do cozimento das folhas frescas e cascas do caule é recomendado, em banhos, nos seguintes casos: erisipela, inflamações reumáticas, orquite.

O mesmo cozimento, em dose mais fraca (10 gramas para 1 litro de água), usa-se na hidropisia, tomando-se várias xícaras ao dia.

As folhas frescas, amassadas, aplicam-se sobre feridas e úlceras.

Parte usada: Folhas e cascas.

Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.



Nenhum comentário:

Postar um comentário